Sexo oral transmite HIV? Confira como praticar o sexo oral seguro.

05.08.2013 - 19:58

Sexo oral transmite HIV? Confira como praticar o sexo oral seguro.O tema sexo oral vem sempre acompanhado de tabus, dúvidas, questões e polêmicas. Com camisinha ou sem? O esperma ou pênis transmitem doenças? E a vagina? Transmite AIDS?

Primeiramente vamos focar no quesito AIDS (ou vírus HIV). Durante muito tempo isso foi controverso, até que uma pesquisa confirmou que em determinadas situações o sexo oral pode sim transmitir o vírus HIV. Se a pessoa estiver com algum ferimento na boca (gengivite, afta, machucados ou lesões por mordidas ou escova de dente), por exemplo, pode facilitar a infecção. No entanto, esse risco é muito baixo quando comparado com as outras possíveis formas de contágio (sexo vaginal ou anal e compartilhamento de seringas).

Mas além da AIDS, o sexo oral também pode vir acompanhado de outras Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST), como sífilis, gonorreia, herpes ou HPV. Por isso, na dúvida, o recomendado é o uso da camisinha para o sexo oral e que seja realizada uma boa higiene tanto da região bucal, como genital, antes e depois do ato.

Vale lembrar que o mesmo pode ocorrer para quem recebe o sexo oral. Caso hajam feridas bucais, elas também podem fazer o caminho inverso do acima e transmitir alguma DST para o pênis ou vagina que recebe o ato.

Engolir o esperma
Outra questão sempre levantada é sobre engolir o sêmen do parceiro. Se há algum risco grave ou perigo. Desde que o parceiro não tenha nenhuma DST, não há problema ou risco algum.

Sexo oral no ânus
O sexo oral anal requer muito cuidado, pois a região é rica em bactérias que podem gerar problemas como infecções e diarreias. Portanto, para um sexo oral anal seguro a região deve ser muito bem lavada e higienizada previamente.

Jeferson Machado Santos.
CRF-SE: 658.

Farmacêutico pela Universidade Federal de Sergipe - UFS.
Habilitação em Bioquímica Clínica pela Universidade Federal de Sergipe - UFS.
Especialista em Administração de Empresas pela FIJ-RJ.
Especialista em Farmacologia e Interações Medicamentosas pela Uninter-IBPEX.

Ir para a versão clássica
Voltar
© 2001-2014